Grandes aliados da limpeza residencial e industrial, os desinfetantes são produtos químicos importantes e delicados, portanto, conhecer suas fórmulas colabora para que se obtenha o melhor resultado com o seu uso.

Segundo especialistas ouvidos por Tilt (em parceria com o UOL), os componentes químicos mais usados na fórmula dos desinfetantes — aqueles que têm venda livre nas prateleiras dos supermercados — são: hipoclorito de sódio na concentração de 2% a 2,5%, ativo principal da água sanitária; compostos fenólicos, usados em produtos à base de óleo de pinho; quaternários de amônia; cloro isocianurato, para usos mais específicos, como limpeza de piscinas. Esses produtos químicos, de maneira geral, têm uma mesma forma de agir. Eles destroem o material genético dos microrganismos, incluindo aqui vírus, bactérias, fungos, protozoários e outros agentes causadores de doenças. "Como os vírus são germes mais frágeis, as substâncias químicas (que normalmente têm carga positiva) são capazes de destruir as membranas (que têm carga negativa)", explica o professor Reinaldo Bazito, do Instituto de Química da USP. Já o álcool a 70%, é um antisséptico.

Para seres humanos, o ideal para limpeza é água e sabão. "Por serem substâncias altamente tóxicas, os desinfetantes só podem ser utilizados em pisos, paredes, móveis, bancadas de trabalho e outras superfícies. Até mesmo as plantas têm produtos específicos para eliminar germes", destaca Eduardo Alécio, professor de química do IFPE (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco).

Misturar produtos para uma maior eficácia pode ter o efeito contrário. Isso porque, embora os produtos não tragam em seus rótulos as indicações de incompatibilidade, ao serem misturados, um agente químico pode diminuir a ação do outro ou mesmo inativá-lo. Tampouco devem ser dissolvidos em álcool ou vinagre. Vários produtos químicos juntos podem reagir e até mesmo liberar substâncias tóxicas. Além dos ativos principais, os desinfetantes possuem outros ingredientes na fórmula e alguns deles podem ser perigosos se manuseados incorretamente.

FONTE: UOL

Topo